segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

videoA felicidade estampada no rosto de minha mãe, 91 anos, quando toca uma de suas composições.

sábado, 12 de dezembro de 2009

UTILIDADE PÚBLICA

Muitos anos de vida requerem alguns cuidados especiais, para que os prolonguemos por muitos outros mais. Assim, acreditamos que algumas dicas de saúde são importantes para nossos blog leitores.

Câncer de Próstata:
Sinais e sintomas
- Sangue na urina;
- necessidade de urinar frequentemente;
- jato urinário fraco e
- dor ou queimação ao urinar.
É um tumor maligno que se desenvolve na glândula próstata, que integra o sistema reprodutor masculino, localizado na pelve. É o segundo tipo de câncer que mais mortes causa entre os homens. Se você tem algum desses sintomas, ou idade a partir de 50 anos, procure logo seu médico.

Câncer de Mama
Sinais e sintomas
-Nódulo ou tumor no seio, acompanhado ou não de dor;
- Alterações na pele que recobre a mama, com avaulamentos ou retrações, com um aspecto semelhante à casca de laranja e
- nódulos( ínguas) palpáveis nas axilas.
Se você está na faixa erária de 50 a 69 anos, procure o ginecologista ou mastologista.

Câncer de Colo de Útero
Sinais e sintomas
No início o câncer do colo uterino não apresenta sintomas e sua detecção só ocorre por meio da realização periódica do exame preventivo (Papanicolau) QUando a doença está mais avançada, os principais sintomas do câncer do colo do´útero são sangramento vaginal, corrimento e dor.
Toda mulehr que tem ou ja teve atividade sexual deve procurar o ginecologista e se submeter ao exame preventivo periódico, especialmente se estiver na faixa etária dos 25 aos 59 anos de idade.

Câncer Colo-Retal
Sinais e sintomas
- fezes escurecidas (como borra de café);
- sangue nas fezes;
- anemia sem causa determinada;
- dor abdominal;
- perda de peso e
- mudança do hábito intestinal sem causa determinada.

Se você apresenta esses sintomas, ou tem mais de 50 anos, procure um médico para pesquisa de sangue oculto nas fezes e, em casos suspeitos, uma colonoscopia. QUando detectado no início, esse câncer tem grandes chances de cura.
Fonte: panfleto da GEAP "Previna-se contra o câncer"

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Menos nascimentos, mais longevidade.

A redução do índice de natalidade em nosso país, nos últimos tempos e o aumento da expectativa de vida da população brasileira têm sido fonte de grande preocupação para aquelas pessoas que vêem mais adiante.
São muitos os desafios a superar para garantir-se uma qualidade de vida em padrões aceitáveis a essa fatia crescente da população brasileira: as pessoas idosas.
Vejo duas dimensões a serem trabalhados no sentido de proporcionar aos idosos condições satisfatórias de vida. A primeira é a dimensão educativa. A ruptura com o preconceito, que os isola e discrimina. A segunda diz respeito à promoção da saúde.
De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria, o mal de Alzheimmer e a Depressão são os males que mais preocupam nessa fase da vida. Segundo essa entidade, a depressão, as quedas, as infecções e as demências são os quatro gigantes da geriatria.
Proporcionar condições que garantam a segurança e o "encolhimento" desses gigantes, são os novos desafios da ciência.
Algumas medidas simples, como a vacinação contra a gripe,por exemplo, têm sido bastante eficazes no combate às infecções, principalmente as pulmonares, diminuindo o número de óbitos por essa etiologia. Mas isso só não basta. Auto estima elevada e felicidade são ingredientes mais do que necessários para garantir-se a o fortalecimento do sistema imunológico, e isso conseguimos com a inclusão social das pessoas idosas. Aí que entra a educação.

Maria de Lourdes Vieira Coelho.

Ela já passou em muito dos 65. É minha mãe que hoje tem 91 anos de vaidade. Noventa e um anos de uma vida regada, principalmente, à música.
Domingo passado, me dizia: "Sinto falta do seu pai, sabia? Sinto saudades." E lágrimas rolaram dos seus olhos.
Meu pai morreu aos 67 anos, em 1987. Em 2009, minha mãe, entre lágrimas discretas me falava, quase como em tom de grande revelação: "Eu fui muito feliz com ele".
Pianista, ainda toca, não com a desenvoltura de outrora. No momento está impedida de tocar, pois fraturou o úmero quando caiu no banheiro. Caiu por recusar - por vergonha - a ajuda da cuidadora na hora de urinar. Esquecida que ja não tinha tanta habilidade quanto quando contava seus 60 anos, minha mãe movimentou-se pelo banheiro com a calcinha à altura do joelho, o que provocou o seu desequilíbrio.
A cuidadora chorou até o dia seguinte, pela gravidade da fratura. O úmero fraturou de forma que só uma intervenção cirúrgica resolveria. Mas a fragilidade de sua saúde não indica esse procedimento. Ficará com o braço imobilizado, e provavelmente terá os movimentos limitados. Será que poderá voltar a tocar? Não sabemos. Temo que se isso vier a acontecer, ela fique triste. Muito triste.